Até 2021, 70% dos varejistas devem investir em “Internet das Coisas”

Por: Camila Mendonça 4.471 views

A Internet das Coisas será uma das principais ferramentas para a personalização das experiências dos clientes, mostra estudo. Confira

cred: Shutterstock

A IoT (“Internet of Things” ou, simplesmente, Internet das COisas) não está sendo ignorada pelo varejo. É o que mostra estudo da Zebra Technologies, empresa de soluções e serviços. A companhia ouviu 1.700 executivos responsáveis por decisões de varejo da América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico, Europa e Oriente Médio, de todos os segmentos do varejo, para entender como o setor se posiciona em relação às novas tecnologias.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

O estudo mostrou que até 2021 70% dos varejistas vão investir em tecnologias IoT para melhorar a experiência do cliente. A ideia é que a tecnologia que conecta todas as coisas ajude a elevar os níveis de personalização do atendimento ao cliente. Segundo a pesquisa, 65% dos entrevistados planejam investir em tecnologias de automação para garantir a gestão de estoques e a conformidade.

“Desde corredores nas lojas até almoxarifados e prateleiras, os varejistas estão promovendo essas mudanças em uma disputa para melhor servir os clientes. O estudo demonstrou que os varejistas estão preparados para atender e superar as expectativas dos clientes com novos níveis de personalização, rapidez e conveniência”, afirmou Vanderlei Ferreira, country-manager da Zebra Technologies no Brasil.

Em busca dessa maior personalização e conveniência, 65% planejam explorar serviços inovadores de entrega, tais como as feitas em locais de trabalho, casas e até mesmo em carros estacionados.

Até 2021, cerca de 80% dos varejistas serão capazes de personalizar a visita dos clientes às suas lojas – por exemplo, a maioria deles saberá quando um determinado cliente estará dentro da loja. Isso será viabilizado por meio de tecnologias como as de microlocalização, permitindo capturar mais dados com precisão e ter mais conhecimento sobre os clientes.

Diante disso, a integração entre as lojas virtuais e físicas é fundamental, segundo 78% dos entrevistados. Além disso, 75% deles preveem que vão investir em recursos preditivos e de análise até 2021 para prevenir prejuízos, otimizar preços e também desenvolver capacidade de análise de câmeras e vídeo para fins operacionais e para melhorar a experiência geral dos clientes.

Tecnologias
Entre as ferramentas que devem receber mais atenção dos varejistas estão aquelas que ajudam a reduzir muitos pain points dos consumidores, como as filas: 87% dos varejistas vai implantar pontos de venda móveis (MPOS – mobile point-of-sale) até 2021, para que possam contabilizar os produtos e aceitar pagamentos com cartão de crédito ou débito em qualquer lugar da loja, eliminando as filas.

Outra dor dos consumidores é a inconsistência de preços entre as lojas e a ruptura. Por isso, 72% dos varejistas planejam corrigir esses problemas reinventando suas cadeias de suprimentos contando com visibilidade em tempo real viabilizada por automação, sensores e análises.

A logística também deve receber mais investimentos em tecnologia: 57% dos varejistas acreditam que a automação vai moldar a indústria até 2021, ajudando-os a empacotar e despachar pedidos, rastrear mercadorias, controlar os níveis dos estoques nas lojas e auxiliando os clientes a encontrar itens.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.