Cresce a procura do consumidor por crédito

Por: Ivan Ventura 262 views

De acordo com a Serasa Experian, houve um ligeiro aumento na comparação de indicadores entre os três primeiros meses deste ano e o primeiro trimestre de 2016. Veja

A alta foi maior na comparação com os meses de março e fevereiro deste ano. Crédito: Shutterstock
A alta foi maior na comparação com os meses de março e fevereiro deste ano. Crédito: Shutterstock

A procura do consumidor por crédito fechou o primeiro trimestre deste ano com alta de apenas 0,8% na comparação o mesmo período do ano passado. É o que mostra Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito. No entanto, o dado da entidade mostra um aumento ainda maior no comparativo mês a mês de 2017.

De acordo com a entidade, a busca por crédito subiu 20,7% na comparação entre os meses de março e fevereiro deste ano. Já no comparativo entre março deste ano e do ano passado, a demanda do cliente por crédito cresceu 6,1%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o fraco desempenho da demanda do consumidor por crédito no comparativo entre os primeiros três meses de 2017 e 2016 mostra um consumidor ainda bastante cauteloso quanto à expansão do seu nível de endividamento, principalmente por causa do quadro ainda adverso em relação do nível de emprego.

Efeito carnaval

Sobre o forte crescimento de 20,7% entre março e fevereiro deste ano, a entidade entende que isso tem relação com o chamado “efeito-calendário”, ou, em outras palavras, o feriado de carnaval. O mês de fevereiro contemplou apenas 18 dias útil contra 23 dias de março. Ajustando-se pela quantidade de dias úteis, a demanda do consumidor por crédito teria recuado 5,6% em março contra fevereiro.

Empréstimo por renda

A Serasa analisou a busca por crédito a partir da renda. Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, a procura do consumidor por crédito caiu 1% para quem recebe entre R$ 2.500 e R$ 5.000 por mês; recuou 1,7% para quem ganha entre R$ 5.000 e R$ 10.000 mensais; e se retraiu 1,4% para os que recebem mais de R$ 10.000 por mês.

Já nas rendas mais baixas, as oscilações positivas na procura do consumidor por crédito no primeiro trimestre de 2017 foram: 2,3% para a faixa de renda de até R$ 500 mensais; 1,9% para o consumidor com renda entre R$ 500 e R$ 1.000 por mês e 0,3% para quem ganha entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês.

E empréstimo por região

A entidade, por fim, analisou a procura nas cinco regiões do país. No primeiro trimestre de 2017, a demanda do consumidor por crédito recuou em três regiões na comparação com o mesmo período do ano passado: Sudeste (-0,2%), Centro-Oeste (-2,4%) e Norte (-0,8%). Por outro lado, houve expansões da demanda do consumidor por crédito no Nordeste (3,8%) e no Sul (2,9%).

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.