Movimento de consumidores em lojas do País cresceu 6%

Por: Camila Mendonça 3.241 views

Dados da Serasa Experian mostra alta na atividade do comércio em janeiro, em comparação ao mesmo período do ano passado. Entenda

cred: Shutterstock

O movimento dos consumidores nas lojas do Brasil apresentou alta de 6% em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian.

O crescimento da renda real dos consumidores e a oferta maior de crédito a juros mais baixos têm ajudado a aumentar o apetite de compra dos consumidores, segundo os economistas da Serasa. Comparando esse apetite com janeiro do ano passado, o crescimento foi ainda maior.

Em relação a dezembro, os dados mostram estabilidade, com leve alta de 0,1%.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Segmentos

Considerando os segmentos analisados, o de Móveis, eletroeletrônicos e informática foi o que mais cresceu no mês, em relação ao mesmo mês do ano passado: a alta foi de 6,8%.

Durante a crise, o segmento foi um dos que mais sofreram com a queda nas vendas, por conta do cenário de crédito mais escasso a juros muito elevados que, aliada a menor confiança dos consumidores, fez com que o consumo de itens mais caros fosse deixado de lado.

Assim que a economia deu sinais de retomada, os consumidores se sentem mais confortáveis em voltar a comprar eletros.

Leia também
70% dos brasileiros atrasaram dívidas em 2017

O mesmo ocorre com o segmento de veículos, motos e peças. Um dos primeiros a sentir os sinais da crise, o segmento amargou quedas de duplo dígito de vendas.

Em janeiro deste ano, o indicador da Serasa mostrou alta de 3,7% no movimento das lojas desse segmento.

O segmento de Supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas cresceu 3.5%.

Por outro lado, há setores que não conseguiram ver o movimento de consumidores crescer. É o caso do segmento de combustíveis e lubrificantes, que viu queda de 7,8%. Tecidos, vestuário, calçados e acessórios teve queda de 7,3% e Materiais de construção teve recuo de 8,7%.

Leia também
Shoppings iniciam o ano com fluxo maior, segundo a Abrasce

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.