As 7 tendências para o e-commerce em 2018

Por: Leonardo Pinto 8.524 views

O e-commerce apresentou bons resultados no ano passado e alguns quesitos de sucesso devem continuar sendo destaques. Confira as principais estratégias

cred: Shutterstock

O e-commerce brasileiro tem projeção positiva para 2018 e deve voltar a crescer em dois dígitos porcentuais depois de dois anos. De acordo com relatório da Ebit, divulgado na última semana, o comércio eletrônico nacional deve acompanhar a tímida recuperação econômica e crescer em torno de 12%, em comparação a 2017, com faturamento estimado em R$ 53,5 bilhões.

Confira abaixo os destaques e as principais tendências apontadas pela empresa para o e-commerce continuar com bom desempenho:

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Copa do Mundo

O maior evento do futebol mundial deve impactar positivamente a venda de produtos online, como televisores, bebidas e artigos esportivos.

Frete grátis

Varejistas aumentaram a oferta de frete grátis no meio digital. Em um ano, de 2016 para 2017, houve um aumento de 6 pontos percentuais (36% para 42%), influenciado pelo incentivo ao uso de aplicativos e retirada em lojas físicas de produtos.

Compras em sites estrangeiros

Cerca de 22 milhões de brasileiros fizeram, em 2017, compras em sites internacionais, gastando, em média, US$36,8 (cerca de R$117,8). A tendência, de acordo com a Ebit, é crescer a procura por produtos exclusivos e com preços mais atraentes no mercado internacional.

Invasão chinesa

Sites chineses continuam sendo os queridinhos entre os brasileiros que compram em plataformas internacionais. Em 2017, a pesquisa “Cross Border” aponta que 54% dos consumidores fizeram compras no site Aliexpress, mostrando um crescimento de 9 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

 

Sem parcelas

Praticamente metade das compras feitas no comércio eletrônico em 2017 foi paga à vista, apesar da importância do uso do cartão de crédito para o financiamento. Segundo o Ebit, o brasileiro ainda está receoso de parcelar por causa do endividamento.

Marketplaces

Impulsionado pela expansão do Mercado Livre, o faturamento proveniente das vendas via marketplaces aumentou e já têm parcela significativa do e-commerce: quase 20%. Como o modelo é vantajoso para as grandes varejistas e para os pequenos negócios, o crescimento dos marketplaces é inevitável.

Procura por smartphones

A demanda por celulares ultrapassou a dos eletrodomésticos, sendo a categoria mais vendida no e-commerce em 2017 em volume de faturamento.

Leia também:
5 tendências para empreender no e-commerce

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.