UBS diz que e-commerce pode fechar 80 mil lojas nos EUA

Por: Raphael Coraccini 6.873 views

Pesquisas apontam ainda que já está acontecendo um fenômeno importante de concentração de vendas no varejo físico. Entenda

Crédito: Shutterstock

Um relatório do braço de inteligência de mercado da UBS, empresa do sistema financeiro, apontou que o varejo americano pode ter que fechar entre 30 mil a 80 mil lojas físicas até 2025 para manter um crescimento de dois dígitos. Mas, para que isso aconteça, segundo a pesquisa, seria preciso que o comércio eletrônico representasse 25% das vendas.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Segundo o portal eMarketer, para que o e-commerce representasse tudo isso no prazo estipulado, seria necessário um crescimento fora da curva. Os analistas do portal especializado em varejo americano apontam que os 10% de representatividade do comércio eletrônico nos Estados Unidos devem chegar a, no máximo, 15,1% em 2022 do total de compras no varejo. Com isso, atingir os 25% daqui sete anos seria improvável.

Fechamentos por segmento do varejo

Uma pesquisa da Coresight apontou que, em 2017, o único setor entre os cinco principais do varejo que teve mais abertura de lojas que fechamento nos Estados Unidos foi o alimentar, com 2.680 novos pontos.

No balanço, as drogarias fecharam 194 unidades e as lojas de departamento, 683. Os varejistas da chamada hardline, que contempla produtos duráveis (eletrônicos e decoração), fecharam mais de 2 mil lojas. O segmento testemunhou a falência de uma das grandes varejistas de eletrônico, o que aumentou o déficit.

Onde o varejo americano estará em 10 anos?

Ainda assim, o setor que mais sofreu com fechamento de lojas foi o chamado softline, que compreende, em especial, produtos têxteis. O segmento fechou 2017 com um déficit de 3,3 mil lojas físicas.

Ao longo do ano passado, o varejo americano teve, no balanço, fechamento de quase 7 mil lojas, segundo a Coresight Research. Para 2018, a expectativa é que isso caia pela metade, para 3,3 mil.

Concentração de vendas no varejo físico

Outro fenômeno observado no varejo americano é a concentração de vendas em cada vez menos lojas, em especial quando o assunto se trata de grandes varejistas. A Home Depot divulgou que 6,7% das vendas totais foram de canais digitais e 46% dos pedidos on-line foram retirados na loja, o que aponta ainda a ampla necessidade do ponto físico para concretizar as vendas on-line.

Além disso, as vendas apenas do varejo físico da Home Depot cresceram 6,7% por metrô quadrado em 2017, o maior número desde 1999. A rede abriu apenas três novas unidades e deve repetir o número enxuto em 2018. As informações são do eMarketer.

Leia também: 

Como o consumismo e a desigualdade fraturaram o varejo americano

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.